Menu

Sobrevoo sob o Parque Nacional de Anavilhanas na Amazônia

Flavia Pires
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Depois de navegar por quatro dias a bordo do Jacaré- Açu, a embarcação da Expedição Katerre na região do parque Nacional de Anavilhanas e ter feito uma das viagens mais bacanas da vida, dormi uma noite no belíssimo Mirante do Gavião em Novo Airão (200 km de distância de Manaus), outra experiência mandatória para quem visita a região.

Hora de voltar pra casa, mas em grande estilo!

Este trajeto Novo Airão- Manaus por estrada leva em torno de 3 horas e optei por fazê-lo de hidroavião com duração de 50 minutos. Sempre sonhei em sobrevoar esta região e finalmente chegou o tão esperado dia! Escolhi a empresa Rico Táxi Aéreo e sua frota de equipamentos anfíbios, capazes de pousar nos rios da Amazônia, a modernos jatos, com autonomia para atingir qualquer ponto do país. São 50 anos de operação na Amazônia, onde participa ativamente da historia econômica da região. Tem ainda uma equipe de pilotos treinados e homologados pela Anac, um time de mecânicos de alto nível e hangar próprio no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes em Manaus. Me senti muito segura o tempo todo em voar com eles.

Eles nos buscaram na porta do hotel Mirante do Avião, que nesta época do ano, a maré está baixa e eles pousam na água bem na frente da entrada do hotel.

A decolagem foi super suave e deu pra ver as crianças em êxtase vendo o avião decolar!

As vistas de cima de um dos maiores arquipélagos fluviais do mundo é desconcertante tamanha beleza. Um labirinto de ilhas e águas negras espelhadas formam desenhos e recortes que parecem terem sido esculpidos a mão.

 

O Parque Nacional de Anavilhanas está aberto o ano inteiro, mas é na época da seca (de setembro a fevereiro) que aparecem as belas praias de areias brancas que emergem por todo o arquipélago. Essa foi a que dormimos ancorados, igualmente espetacular vista de cima! Me emocionei ao sobrevoá-la!

A vastidão de verde e seus recortes parece não ter fim!

Fomos nos aproximando de Manaus e vimos de cima o famoso Encontro das Águas,na confluência entre o Rio Negro e Solimões. Os dois rios correm lado a lado sem se misturarem. Esse fenômeno ocorre em decorrência da diferença entre a temperatura ( Rio Negro 28 graus e Rio Solimões 22 graus), densidade das águas e a velocidade das correntezas. Isso somado ao PH da água: O Rio Negro apresenta um alto grau de acidez (PH 3,8 a 4,9) e o Solimões, PH bem mais baixo. Tivemos a experiência de ver no barco, mas observar o fenômeno de cima é indescritível!

A cidade desponta num piscar de olhos, e aquele verde dá lugar a muitas construções.

Pouso suave no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes no hangar da Rico Táxi Aéreo e desembarque agilizado pela equipe de terra. Foi um voo perfeito e eu recomendo muitíssimo essa experiência!

Para maiores informações e tarifas: http://www.voerico.com.br

 

 

Explore também:

Traduza