Menu

Six Senses Zil Pasyon Félicité Island

Flavia Pires
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

 

 

 

Foi Vasco da Gama, o navegador português, que avistou pela primeira vez em 1502 o arquipélago perdido no meio do Oceano Índico, quando retornava da Índia em direção à África. Os ingleses passaram por ali um século depois , mas foram os franceses que nomearam o arquipélago de Seychelles em homenagem ao Ministro das Finanças de Luís XV, Jean Moreau de Séchelles e terminaram por perder o controle das ilhas para os britânicos em 1812. Sua independência foi concedida em 1976 e hoje o arquipélago tem um sistema político multipartidário.

O arquipélago de Seychelles conta com 115 ilhas, sendo três principais as mais povoadas: Mahé, Praslin e La Digue. A capital é Victoria, considerada a menor capital do mundo, com apenas 26 mil moradores. O clima é quente o ano inteiro, mas de dezembro a fevereiro acontecem chuvas esparsas. O país possui três línguas oficiais: inglês, francês e creole, o que é bem fácil se comunicar por lá. Brasileiros não precisam de visto, mas lembrando que o passaporte precisa ter validade de 6 meses e é obrigatório o Certificado Internacional de Vacina para Febre Amarela.

Seychelles é perfeito para ser combinado com um safári na África. Para os brasileiros, a melhor forma de chegar é voando South Africa, São-Paulo-Johannesburg e Air Seychelles até o arquipélago. Eu voei do Quênia até lá em uma viagem muito especial em um jato privativo, o PRIVATE JET EXPERIENCE AROUND AFRICA que a Latitudes Viagens de Conhecimento organizou em outubro de 2019 para oito países africanos. Esta foi a última parada do jato para dias de descanso e contemplação dos 32 passageiros que fizeram esta viagem tão especial!

Félicité Island é uma das ilhas-satélite que compõem o arquipélago de la Digue e é considerada uma das ilhas mais bonitas de Seychelles. É ali que está o belíssimo hotel SIX SENSES ZIL PASYON onde nos hospedamos. A propriedade ocupa 1/3 da ilha e o restante é exclusivo do hotel, isso é o maior dos luxos! Para chegar até Félicité, é necessário um voo de helicóptero com duração de 20 minutos ( fizemos através da empresa local Zil Air). O voo é simplesmente deslumbrante e inesquecível! A cor da água é de um azul estonteante, que contrasta com a vegetação verdinha muito exuberante e o contraste da areia branca das praias. Uma verdadeira pintura. Eu me emocionei em muitos momentos desse voo e agradeci pela chance de poder enxergar tanta beleza ao mesmo tempo.

Tudo no Six Senses foi pensado para o melhor aproveitamento das vistas estonteantes que a ilha oferece. Tanto a piscina quanto o restaurante estão posicionados de forma a ter uma vista de mais de 180 graus.

Várias prainhas por toda a área do hotel, com cantinhos super reservados e gostosos.

Eram tantos ângulos perfeitos para assistir ao por do sol que foi até difícil escolher!

O hotel está encravado em meio aos boulders, essas pedras gigantes em diversos formatos que mais parecem esculpidas a mão, e que são bem características de Seychelles. Os arquitetos souberam como ninguém preservar estas rochas tão espetaculares e construíram o hotel em diversos níveis, sem agredir de forma alguma a paisagem e todo seu entorno. Tudo está inserido de uma forma única e onde os olhos percorrem cada cantinho com encantamento. Foi sem sombra de dúvidas, um dos hotéis mais lindos em que já me hospedei no mundo!

Vista do terraço da Residence

Piscina com fundo de vidro na Residence

O Six Senses possui 28 Pool Villas totalmente privativas e com vistas alucinantes do Oceano Índico e algumas Residences com opções de 2, 3 e 4 quartos. A minha foi a incrível Signature Pool Villa com todo conforto e mordomias, marca registrada da rede Six Senses mundo afora!

O banheiro é um capítulo a parte! A vista é simplesmente sensacional e já de cara, o patinho foi eleito o nosso mascote e customizado todos os dias!

Logo na chegada, cada Villa possui um GEM (Guest Experience Maker), uma pessoa que irá cuidar pessoalmente durante toda a estadia. Ele ajuda nas reservas de passeios, tratamentos de SPA, aulas na academia e verifica o tempo todo o seu bem estar. O GEM oferece tudo de melhor durante a hospedagem, garantindo que todos os detalhes saiam perfeitos. E como ser diferente com todo esse serviço de excelência em um lugar tão paradisíaco?

Staff maravilhoso

As solícitas GEM

Outro grande atrativo é que o  Six Senses é super kids-friendly , aceita crianças de todas as idades e possui programas especiais para eles. O Trouloulou é um espaço dedicado aos pequenos com atividades regulares com monitores especializados e também oferece serviço de babysitting.

A rede hoteleira é famosa pela qualidade de tratamentos oferecidas em seus SPAS e o daqui não poderia ser diferente. Me entreguei uma tarde inteira de massagens e tratamentos faciais com muito conforto e profissionais altamente bem treinados. Isso sem falar nas instalações, com vistas estonteantes.

A academia é super bem montada com equipamentos de última geração e com uma vista de tirar o fôlego! O Six Senses também oferece um programa chamado de Yogic Detox que pode ser feito de 3/5 ou 7 dias onde além das práticas, há a possibilidade de fazer um verdadeiro detox alimentar, achei bem interessante.

 

A gastronomia do Six Senses oferece uma culinária bem diversificada, com inspirações africana, chinesa, indiana, francesa, inglesa e creole. Você pode agendar também um Sunset Dinner Experience, onde eles organizam um jantar ao ar livre no alto de um desses bolders, deve ser bem incrível essa experiência! Reservar uma noite no Wine Vault, outra experiência gastronômica aos amantes de vinho na adega do hotel. E não deixe de provar também uma degustação de rum no Lankabiz Rum Tasting, charmoso até não poder mais!

São várias opções de passeios pelas ilhas vizinhas e nós fizemos uma manhã em La Digue, a ilha mais famosa de Seychelles, onde está a praia Anse d’Argent, o cartão postal de Seychelles! Um catamarã do hotel nos levou até a ilha, a viagem dura uns 40 minutos e a cor da água vai dando pistas do paraíso que vamos encontrar pela frente!

Bicicleta é o melhor meio de transporte em La Digue! Eles alugam ali pertinho da marina e a pedalada até Anse d’Argent é de uma meia hora, bem tranquilo. No caminho, vale parar para conhecer as famosas tartarugas gigantes de Seychelles, nunca tinha visto tão grandes! Na verdade, é uma espécie que só tem aqui, são jabutis que podem viver até 150 anos! As maiores atingem 300kg de peso e 1,3 metros de comprimento, elas são realmente impressionantes, as fotos infelizmente não traduzem a realidade!

Meio de transporte em La Digue

Conferindo cada cantinho da ilha

O Coco de Mer é outra coisa curiosa que só existe aqui em Seychelles! É a maior semente do mundo, oriunda de uma palmeira!

 

Ainda em La Digue, você pode alugar caiaques no meio do caminho, os daqui são muito bacanas, com fundo transparente! E com essa água cristalina, rende um passeio memorável!

Aluguel de caiaques

Vá até o fim dessa estradinha e você vai chegar em uma prainha bem tranquila, com estrutura de barzinhos e sombra. Ali nos instalamos, muita água de coco e cerveja local! A água é de uma temperatura perfeita e transparente. Os diversos boulders dão uma geografia bem diferente e inusitada. Passamos uma manhã maravilhosa ali, desfrutando de uma das praias mais lindas do MUNDO! Eu assino embaixo!

Outro passeio imperdível é ir de barco até Praslin Island e o atol de Aldabra para fazer snorkel e ver de perto a fantástica vida marinha de Seychelles. Peixes de todas as cores e formatos, tartarugas simpáticas nadando conosco, um verdadeiro show da natureza. Desses momentos da vida pra guardar no coração de tamanha beleza.

Um dos grandes diferenciais da rede hoteleira Six Senses é sua grande responsabilidade ambiental e social. A maioria dos hotéis estão em áreas remotas do mundo e eles tem uma grande preocupação em causar o menor impacto possível no seu entorno. Isso é feito com muita dedicação e afinco em todos os hotéis da rede. Programa de sustentabilidade, o não uso de plástico, lixo orgânico transformado em compostagem e diversas outras ações em defesa do meio ambiente. Na questão social, eles investem muito oferecendo capacitação aos seus funcionários e programas educacionais e atividades nas escolas locais. Um trabalho de se admirar de tão bem feito. Duas ações em Seychelles me chamaram muito a atenção: a preservação da barreira de corais em diversos pontos, que está sendo destruída e o plantio único e exclusivo de plantas locais, para manter vivo todo o eco sistema funcionando com perfeição, prestando atenção em toda a cadeia alimentar dos animais que ali vivem.

Cada vez mais eu admiro hotéis que se preocupam com tantos detalhes e possam contribuir para um turismo de qualidade e sustentável, cuidando e preservando nosso planeta com muito propósito. Esta foi a minha segunda experiência em um hotel da rede, a primeira foi na Tailândia no Six Senses Samui e virei fã incondicional do Six Senses!

www.sixsenses.com

Fotos Flavia Pires e divulgação

 

 

 

 

Explore também:

Traduza