Kioto

Por: Flávia Pires 3 março, 2015

A antiga capital imperial do Japão foi fundada em 794 com o nome de Heiankyo, que significa capital da paz e tranquilidade). Cercada de montanhas por três lados e cortada pelo Rio Kamo de norte a sul, a sensação é de que o tempo parou por aqui. A chegada dos samurais estimulando o zen-budismo, a cerimônia do chá e a chega de tecelões de seda foram enriquecendo ainda mais a cidade. Durante o período Edo (1603-1869), a balança do poder passou de Kioto para Edo (Tóquio), e Kioto finalmente perdeu o status de capital em 1868. Como eu contei em matérias anteriores, a permanência em Kioto de pelo menos 5, 6 dias é super importante, pois fazendo sua base ali, você pode se locomover facilmente de trem bala para conhecer as cidades ao redor, como Hiroshima, Hakone, Osaka, Miyajima e Nara.Kyoto_99

Para hospedagem na cidade recomendo o belíssimo Ritz Carlton, às margens do rio Kamo. Serviço impecável cinco estrelas e acomodações privilegiadas garantem seu conforto durante toda a semana na cidade.Ritz_kyoto_1 Ritz_kyoto_2 Ritz_kyoto_5 Ritz_kyoto_6

Passeios na cidade:

A CERIMÔNIA DO CHÁ valorizado por suas qualidades medicinais, o chá começou a ser importado da China no século oitavo. nos primeiros tempos a nobreza saboreava a bebida em festas. Mais tarde, Murato Shuko (1422-1502) transformou o costume de beber chá em uma cerimônia repleta de significado espiritual, o que encantou os samurais. A base do ritual, chamado de Chaji, que inclui uma refeição leve e o chá em pó batido (matcha) servidos por um anfitrião a poucos convidados. Kyoto foi o berço destas cerimônias e seu ritual vale ser vivido. A cerimônia original dura mais de quatro horas, mas a que fizemos durou uma hora, própria para turistas conhecerem. Recomendo a compra de matcha, super na moda agora para emagrecimento e é super saboroso. No Japão todo você acha fácil, comprei em Tóquio no Mercado de Peixes Tsukiji. Ali no Templo de  Kodaiji, também tivemos um dia de Gueixa e nos vestimos como tal!Kyoto_4Kyoto_1Kyoto_2Kyoto_39Kyoto_43Kyoto_41

CASTELO NIJO: Construído em 1603 como residência de Tokugawa Ieyasu, o primeiro Shogun do Período Edo (1603-1867). Após a queda do xogunato Tokugawa em 1867, o Castelo Nijo foi usado como um palácio imperial por um tempo, antes de ser doado para a cidade e aberto ao público como local histórico. Seus edifícios do palácio são, indiscutivelmente, os melhores exemplos sobreviventes da arquitetura palácio do Japão na era feudal. Seus interiores ornados e o famoso piso rouxinol, projetado para que quando alguém os pisasse, reproduzissem o som do pássaro, avisando sobre possíveis intrusos. Na época foram encomendados pelo neto de Tokugawa aos pintores da Escola de Kano, famosa por suas pinturas ornamentais de paisagens, pássaros e cenas de flores em estilo chinês, uma maravilha e muito bem preservadas nos inúmeros cômodos do interior do castelo. Pena que seu interior não pode ser fotografado…Kyoto_9Kyoto_11Kyoto_12Kyoto_10

KINKAKU-JI ou GOLDEN PAVILLION: Uma verdadeira obra de arte que brilha majestosamente às margens do lago que compõe o belo jardim oriental a sua volta. Reconstruído no ano de 1955 após ser incendiado por um monge fanático, recebeu novas camadas de folhas de ouro e no ano de 1994 foi indicado pela UNESCO como um dos 16 patrimônios Culturais da Humanidade. Construído pelo terceiro Xogum Ashikaga, que aos 37 anos abriu mão de seus deveres oficiais (mas não do poder) para dedicar-se ao sacerdócio. O templo então, passou a ser seu abrigo. A estrutura de três andares é totalmente folheada a ouro e encimada por uma fênix de bronze. O jogo harmonioso entre seus vários componentes é um bom exemplo do projeto paisagístico do período Muromachi.Kyoto_5Kyoto_6Kyoto_7

KIYOMIZU-DERA Enquanto muitos templos famosos são exclusivos de certas seitas, Kiyomizu-dera parece pertencer a todas, por isso é chamado de “templo independente”. Por mais de 1.000 anos, peregrinos tem subido as encostas para oferecer orações à imagem de 11 cabeças de Kannon e beber da fonte sagrada. A varanda do salão principal, maravilha da marcenaria japonesa foi construída sem pregos e oferece uma vista privilegiada e belíssima de Kioto. Reserve um bom tempo para comprinhas na rua até a entrada do templo, um dos melhores comércios locais da região.Kyoto_13Kyoto_16Kyoto_14Kyoto_18Kyoto_15Kyoto_24Kyoto_22Kyoto_19Kyoto_20Kyoto_28

HEIAN-JINGU Localizado na região de Okazaki, ponto de concentração de museus, galerias, praças de esportes, o zoológico municipal e o santuário Heian-Jingu, um dos maiores e mais novos de Kioto. Construído em 1895, a obra visava elevar o moral da cidade e movimentar a economia local depois da capital ter sido transferida para Tóquio em 1868. Foi também uma homenagem ao 1100 aniversário da fundação da capital e dedicado aos espíritos dos primeiros e últimos imperadores que reinaram ali (Kammu, 737-806 e Komei, 1831-1867). Com pilares alaranjados e telhas verdes, o santuário evoca a dinastia Tang chinesa, de uma beleza ímpar!Kyoto_45Kyoto_55Kyoto_49Kyoto_46Kyoto_51Kyoto_52

FUSHIMI -INARI Um importante santuário xintoísta anterior à mudança da capital para Kioto em 794 localizado ao sul de Kioto e famoso por seus milhares de torii (portões vermelhos). Os torii enfileirados levam para a floresta arborizada do sagrado Monte Inari, que fica a 233 metros e pertence ao recinto do santuário e foram doações de empresários que vem orar pela prosperidade. Fushimi Inari é o mais importante de vários milhares de santuários dedicados à Inari, o deus Shinto do Arroz. As raposas são consideradas mensageiras de Inari, resultando em muitas estátuas de raposas no santuário. Recomendo ir de tênis e roupa confortável para subir até o topo do caminho de torii, a vista é lindíssima.Kyoto_60Kyoto_61Kyoto_63Kyoto_64Kyoto_65Kyoto_66Kyoto_69Kyoto_70Kyoto_71Kyoto_77Kyoto_78

Em todos os templos estão as oferendas e é claro que em um dos tantos que fui, pedi uma forcinha pra Explora!Kyoto_67Kyoto_79

O CAMINHO DO FILÓSOFO Um dos lugares mais apreciados de Kioto, o Caminho do Filósofo acompanha um canal sinuoso ladeado por cerejeiras, que se estendem ao longo do sopé das montanhas de Higashiyama. O trajeto está ligado a estradas que conduzem à região de Nanzen-ji. O caminho do filósofo está repleto de cafés, lojas de artesanato e restaurantes. Foi assim batizado em homenagem a um célebre professor de filosofia da Universidade de Kyoto, Nishida Kitaro(1870-1945). Na estação da cerejeira e do plátano, a caminhada é deslumbrante.Kyoto_83Kyoto_84Kyoto_86Kyoto_91Kyoto_90

MERCADO NISHIKI Apelidado carinhosamente de “Cozinha de Kioto”, Nishiki é um mercado fascinante. Trata-se do local onde  maioria dos chefes da cozinha kaiseki de Kioto compra seus ingredientes. Muitos dos seus itens vendidos, como fu (glúten de trigo) e yuba (nata de leite de soja), são típicos da cozinha local. Outra especialidade do lugar são os picles. A loja mais famosa é a Aritsugu, conhecida pelas facas japonesas e outros utensílios de cozinha.nishiki_market_kyoto_1 nishiki_market_kyoto_2 nishiki_market_kyoto_3

GION O bairro das Gueixas mais conhecido de Kioto, onde os homens japoneses vem para desfrutar da companhia destas profissionais em hotéis e casas de chá. A dica é chegar ao cair da noite e perambular pelas ruas do bairro cheia de restaurantes e lojinhas Tive sorte em ver uma legítima gueixa e outras tantas em carros de luxo passando pelas ruazinhas estreitas. Mas afinal? O que são Gueixas? São profissionais femininas do entretenimento. Conquistam o respeito e às vezes até o amor de seus abastados e influentes clientes graças ao conhecimento de artes tradicionais, habilidade de conversação e à capacidade de manter segredos. Datada do século XVII, a profissão está em declínio, manchada pelas atividades das famosas “Onsen Geisha”, que oferecem mais sexo do que artes clássicas.Kyoto_30Kyoto_31Kyoto_34Kyoto_33

A Latitudes Viagens de Conhecimento foi quem organizou minha viagem ao Japão.

Fotos: Flavia Pires, todos os direitos reservados.

Texto: Flavia Pires com ajuda do Guia Visual Folha de São Paulo.

Para ler outras matérias do Japão, clique aqui.