Kathmandu

Por: Flávia Pires 24 junho, 2013

Sobrevoando o vale de Kathmandu é fácil imaginar que antigamente estivesse inundado sob águas de um enorme lago e segundo conta a lenda, Manjushri, um discípulo de Buda, alçou sua espada de sabedoria para criar um espaço entre as montanhas, drenando assim toda água deixando um vale fértil. Esta é apenas uma das estórias que escutei durante minha viagem ao mágico Nepal. Tradições ancestrais, ritos religiosos e crenças de todo tipo favorecem o ambiente mágico e espiritual que respira o Nepal e atrai milhares de turistas todos os anos.Katmandu view

O Nepal é um país pobre, situado na encosta da cordilheira do Himalaia, no centro da Ásia, entre o Tibete (ocupado pela República Popular da China) e a Índia. Tem uma das maiores densidades demográficas do continente, com 184 habitantes por km quadrado e população de 29.563.377 habitantes e cresce em um ritmo alarmante. A população nepalesa é composta por 12 etnias, que convivem harmoniosamente. A agricultura emprega 90% da mão de obra, tornando o país grande fornecedor de arroz para a região. O povo é lindo e guerreiro. A história deste país é impressionante com suas características budistas e hindus que se mesclam em um sincretismo único.katmandu

Quando a Latitudes sugeriu nosso roteiro, nos contou que era imprecindível passar uns dias em Katmandu, antes de partirmos para o Butão. A chegada ao aeroporto já nos dá pistas do que vamos encontrar pela frente… Já na saída do aeroporto, o choque cultural é grande, mesmo para quem já desbravou terras longíquas como a China, Índia, Vietnã e Camboja…Katmandu 1katmandu

Chegando ao hotel Dwarika’s, um verdadeiro oásis na caótica cidade, com mil motos, poeira, sujeira, muita gente nas ruas. O caos cultural que eu gosto. O verdadeiro “corpo a corpo” e a rica experiência de viver o desconhecido. O hotel é lindíssimo, uma construção bem típica nepalesa. Tudo muito rústico e charmoso. O final do dia foi dedicado ao descanso e jantar no hotel.Katmandu 3,5Katmandu 3Katmandu 4,1Katmandu 6Katmandu 4

O dia seguinte rumamos ao THAMEL em meio a uma chuva fortíssima, provavelmente as monções chegaram antes do previsto este ano…mas em duas horas parou e podemos seguir com toda a programação do dia sem maiores transtornos.Katmandu 7Katmandu 8katmandu 9

O Templo TRAILOKYA MOHAN NARAYAN, construído em 1680 em estilo newarí , foi dedicado ao Deus Vishnu e é Patrimônio da Unesco, um lugar lindíssimo, no coração do Thamel.Katmandu

Ali mesmo visitamos um pequeno museu, o PATAN MUSEUM com peças lindas dos deuses hinduístas e figuras budistas.KatmanduKatmandu 11Katmandu 12

O Nepal é o único reino hindu do mundo com 90% da população hindu e 10% budista. Apesar disso, é difícil, principalmente na região do Vale de Katmandu, definir quem é budista e quem é hindu. Durante séculos, diferentes influências foram moldando a cultura nepalesa e houve um grande sincretismo religioso. É comum no Vale de Katmandu encontrar templos hindus com influências arquitetônicas budistas ou budistas frequentando templos hindus.Katmandu

À tarde fomos conhecer SWAYABUNATH, mais conhecida como Templo dos Macacos, uma das mais belas construções budistas do mundo, fundada a aproximadamente 2 mil anos. Considerado o maior templo budista do Nepal, os quatro lados de sua torre principal apresentam todos os olhares de Buda.Katmandu 15Katmandu 16Katmandu 17katmandu 18

Um lugar lindo com uma energia maravilhosa, além de uma vista belíssima, pois ele fica no alto de uma colina.katmandu 21

As compras nas lojinhas ao redor da estupa tem coisas lindas, reserve um tempinho para ver com calma e pechinche muito, geralmente tudo sai pela metade do preço inicial oferecido.Katmandu 19katmandu 20

Na saída do Templo, visitamos um monastério logo abaixo na rampa da descida, onde os monges faziam seus rituais lindíssimos.Katmandu 23

De lá partimos para uma loja de Pashminas de primeira linha, eles fornecem para várias marcas internacionais famosas, são caras,(em torno de U$200) mas de altíssima qualidade! TARA ORIENTAL www.taraoriental.comkatmandu 22

No outro dia fomos diretamente à Praça BOUDHNATH, o  bairro em que se estabeleceram os tibetanos que fugiram da invasão chinesa nos anos 50 e onde se encontra a maior estupa budista fora do Tibet. O templo nasceu em um cruzamento de caminhos no meio de uma das rotas comerciais entre a Índia e o Tibet. Os comerciantes paravam aqui para rezar. Os que se dirigiam ao norte solicitavam ajuda de Buda para cruzar os altos do Himalaia, e os que viajavam ao sul lhe davam as graças depois da dura travessia pelas montanhas. Hoje, segue sendo ponto de peregrinos e monges que rodeiam a estupa no sentido horário, enquanto giram a roda de oração. Lindo e emocionante…katmandu 31katmandu 25Katmandu 24

Ao redor da estupa, o comércio é bem bacana com mil lojinhas de roupas, artesanatos, objetos lindos.katmandu 33 katmandu 34katmandu 35

Vale conhecer o atelier onde fazem as famosas TANKAS, pinturas típicas desta região que contam a vida de Buda. Um trabalho incrível. Esta loja é de confiança e te oferece um trabalho de primeira linha. Há muitas categorias de Tankas e lá eles te explicam a diferença entre elas e o porquê de algumas custarem tão caras. Eu comprei uma lindíssima! www.boudhathanka.comKatmandu 36Katmandu 37katmandu 39Katmandu 38

Almoçamos por lá mesmo, em um dos restaurantes típicos nepaleses. Adoro provar smpre o prato típico da região que é o famoso DAL BHAT: lentilha, arroz basmati, vegetais ao curry e pickes. Delicioso!katmandu 40

Dali partimos para PASHUPATINATH, templo dedicado ao Lord Shiva, aqui em sua manifestação como Pashupati, é o mais importante templo hindu do Nepal. Situado às margens do sagrado rio Bagmati, é o principal local de cremações do Nepal. Tivemos a oportunidade de assistir uma do começo ao fim…momentos de forte emoção. Quando estive em Varanasi na Índia, nas cremações às margens do Rio Ganges, não era possível fotografar e nem acompanhar de perto a cerimônia. Aqui tivemos a oportunidade de ver a cerimônia completa e registrá-la. Foram momentos fortes e de profunda reflexão sobre as diversas formas de encarar a morte. São essas experiências e vivências que só viajando e tendo a oportunidade genuína de conhecê-las, que realmente fazem a diferença em ir para o outro lado do mundo, vivenciar outras culturas, desprender-se de qualquer preconceito e aceitar de coração aberto outras crenças e formas de vida tão diferentes da nossa.Katmandu 43Katmandu 44Katmandu 45Katmandu 46Katmandu 47katmandu 48katmandu 49katmandu 50katmandu 51

Depois deste ritual emocionante e completamente diferente de tudo no mundo ocidental, fui me distrair tirando fotos com os Sadhus…katmandu 52

E Deuses…katmandu 53

E outras figurinhas…katmandu 54

De volta ao hotel, tivemos um bate papo com um Lama brasileiro que mora no Nepal há muitos anos e nos contou sua experiência budista por duas horas em um bate papo informal e caloroso, o que veio a calhar depois de fortes emoções este dia…katmandu

Nosso último dia em Katmandu começou com um passeio pelos campos de trigo em direção a CHANGUNARAYAN, um dos monastérios mais antigos do Nepal. A sensação é de que o tempo ali parou.Katmandu 55Katmandu 56katmandu 57katmandu 58katmandu 65katmandu 60katmandu 61katmandu 62katmandu 64

Seguimos para BHAKTAPUR ( cidade dos devotos é o seu significado em sânscrito), que foi uma vez a capital de todo o vale. Bhaktapur é agora o mais isolado e inalterado dos três reinados mais antigos. Situada em uma altitude de 1401m, Bhaktapur cobre uma área de mais de 10 km quadrados. É a terceira maior cidade do Vale de Katmandu e fica a apenas 14 km da capital.katmandu 95katmandu 71 katmandu 73 katmandu 74 katmandu 75

Suas ruas calmas, porém cheias, conservam quase intacta a atmosfera medieval de dias passados. A cidade dominou politicamente e economicamente todo o Nepal durante séculos, mas desde a conquista gorka no final de 1700 a cidade se fechou ao mundo exterior. Voltou ao Nepal há apenas 50 anos, quando foi construída a estrada que liga a cidade à capital.Katmandu 100 katmandu 102 katmandu 103 katmandu 104

Almoçamos em um restaurante delicioso e agradabilíssimo, o Chez Caroline que fica em um complexo de lojinhas transadas em ruelas charmosas.katmandu 76katmandu 77katmandu 78

Dali partimos para tarde de compras nas redondezas do Thamel e suas lojinhas incríveis.katmandu 90 katmandu 91 katmandu 92

O jantar foi no Garden of Dreams, restaurante dentro do Palácio. Comida deliciosa, ambiente bem gostoso.katmandu 79katmandu 80

Tentamos por três dias fazer o vôo panorâmico( em helicóptero ou monomotor) pelo Everest, mas devido ao mal tempo pela manhã, foram cancelados, uma pena…mas felizmente conseguimos ver o Everest no nosso vôo para o Butão, não esquecendo de pedir no check in para sentar no lado esquerdo do avião ( eles não reservam com antecedência, é por ordem de chegada)! Mesmo de longe, essa imagem vai viver pra sempre na minha memória….katmandu 97

Fotos Flavia Pires, todos os direitos reservados.